ROADTRIP NO NORDESTE BRASILEIRO, VEM COMIGO!

Quando você pensa em nordeste brasileiro, pensa em que? A primeira coisa que vem na minha mente é: águas claras, quentes (ainda mais pra mim, que estou acostumada com as gélidas águas dos mares do Sul), sombra de coqueiros – e obviamente a paisagem paradisíaca criada por eles – e uma comida típica sensacional.

Sem falar no povo alegre e receptivo, né? Esse post vai ter um pouco disso, mas muito mais. Vem comigo?

O início da trip no nordeste brasileiro

Comprovante de vacina em dia, embarcamos – eu e meu parceiro de vida – para Aracaju, no nordeste brasileiro, no último dia de novembro. O destino inicial foi uma cidade pequena, chamada Propriá.

Fica à beira do Rio São Francisco, turismo não é seu grande forte, embora tenhamos encontrado estabelecimentos incríveis que valorizam a beira do Rio. Fomos para lá para fazer um trabalho voluntário de ensinar jovens a criarem startups – mas isso é papo para outro post. A ideia aqui é falar da semana seguinte, que tiramos de férias.

Aracaju

A folia começou na sexta em Aracaju com amigos de lá, fomos conhecer a noite na orla, que dizem por lá ser a mais bonita do Brasil – só sei que foi a mais animada. Conhecemos por lá o Cariri, um restaurante/bar + casa de forró.

Gente, vale a pena demais! A comida é deliciosa, o show ao vivo, então, nem se fala. Animado demais. Pedimos lá (e recomendo) a tradicional carne de sol, acompanhada de pirão de leite e muitas cervejas para aliviar o calor típico do nordeste brasileiro.

Foi lá também que conheci o amendoim fervido e recomendo muito também, os vendedores de rua passam e entram no restaurante para oferecer, é baratinho e você come o pacote todo sem nem perceber.

No outro dia aproveitamos para conhecer a praia. É bastante extensa, mas possuí diversos quiosques super arrumadinhos para você curtir uma praia.

A água, honestamente, não é daquelas que comentei aqui no início, mas é quentinha e a faixa de areia é gigantesca, ou seja, se você foge de aglomerações, lá eu garanto que se você quiser, consegue um espaço ao sol bem isoladinha.

Alugamos um carro e o pegamos no aeroporto, aliás se quiser alugar um para sua próxima viagem, no Pinguim você tem um super desconto, é só clicar aqui. Aí que começou a viagem.

Maragogi

De Aracaju, partimos direto para Maragogi. Para você se localizar, são 412km, em torno de 6:30 de chão. Mas aí que compartilho a minha primeira boa surpresa: as estradas foram muito boas!

Quando decidimos percorrer 3 estados do nordeste brasileiro de carro, eu tinha essa dúvida no início: será que as ruas serão boas? E não encontrei muitas informações disponíveis, mas felizmente foram. Compramos água de coco e mais amendoim fervido para o caminho, colocamos um som e partimos!

Em Maragogi, passamos a primeira noite em uma praia que se chama Barra Grande. O grande atrativo de lá é o Caminho de Moisés.

Um famoso banco de areia que se forma quando a maré está baixa e você consegue caminhar entre as águas, literalmente. E não é um passinho ou dois, não, os visitantes podem caminhar aproximadamente 800m mar à dentro.

Aliás, se você está planejando ir para Maragogi, já adianto, veja a tábua da maré, antes pois tudo por lá funciona com base nela e se você for em datas que a maré não estiver baixa em horários oportunos, você pode perder grandes atrações.

No segundo dia, fomos fazer os famosos mergulhos nas piscinas naturais de Maragogi. São três, nós escolhemos a Taocas. Embora falem que todas são lindas, escolhemos essa pois não era tão funda e parecia um grande labirinto entre recifes e peixinhos.

Aí entra uma outra boa dica: levem máscaras de mergulho e sapatilhas de mergulho já de casa. Nós fizemos isso e foi uma ótima ideia, assim garantimos a higiene e ainda conseguimos ter uma experiência fantástica e segura.

Outro item que acabamos comprando por lá ( e você vai ver que vendem em todos os lugares) é um plástico protetor para poder mergulhar com o celular. E funciona, viu? Conseguimos tirar inclusive fotinhos dos peixes com nossos próprios celulares.

 

Porto de Galinhas

De Maragogi, nossa ideia era ir para Carneiros, mas esticando 40 minutinhos a mais, conseguiríamos dar um pulo em Porto de Galinhas. Assim o fizemos. Com máscara de mergulho e sapatilha na bolsa, lá fomos nós.

Estava bastante lotada, muitos tipos de sons diferentes, diversos vendedores ambulantes e muitas abordagens para que ficássemos em algum guarda sol. Curtimos o dia por lá, tínhamos ouvido que as piscinas de lá eram melhores do que as de Maragogi e de fato amamos.

Como ela é mais próxima da beira, foi possível ir nadando. Se você não souber nadar, não se preocupe, existem várias jangadas por lá que te levam – mas se souber nadar, recomendo, além de economizar, você vai curtindo e explorando os peixinhos até lá.

Carneiros

Agora sim, partiu Carneiros, o destino que tínhamos mais expectativa. Todos nos diziam que era lindo, ainda inexplorado (a gente prefere assim). Chegamos na estalagem e fomos direto para a igrejinha, o ponto turístico mais badalado por lá. Era hora do pôr do sol (e que pôr!).

nordeste brasileiro

Por sorte estávamos instalados bem pertinho de lá, 10 minutinhos caminhando pela beira da praia. Foi uma delícia, chegamos lá, pouca gente (diferente do que eu via nos vídeos e fotos de lá, sempre uma galera e fila).

Pensamos nós, que estranho, mas depois descobrimos que a maré iria subir e subiu. Nossa volta foi com água batendo na cintura, uma aventura. Ta aí a importância de se atentar à tábua da maré, viu?

No dia seguinte fomos explorar a praia e conhecer os arredores, fizemos tudo a pé, pela beira, mas lá é possível fazer passeios de lanchas e até de charretes, com cavalos ornamentados, tem um até que se chama uber. Já pensou, andar de Uber pela beira mar de Carneiros?

Existem diversos clubes de day use, que servem de apoio para que você passe o dia, tenha infraestrutura e curta um pedacinho do paraíso. O mais famoso deles é o Bora Bora, estava bastante cheio, mas só passamos na frente mesmo.

Nossa ideia era explorar e fomos até o finalzinho da praia, bastante vazia, tomamos um suuuuper banho de mar e já escureceria. Aliás, os dias lá começam antes das 5h da manhã, mas às 5h da tarde já é noite.

São Miguel dos Milagres

Chegou a vez de São Miguel dos Milagres – o point de festas incríveis dos chiques e famosos. E é fácil entender o motivo. Que lugar lindo das águas verde/azul mais lindas que já vi, de fato não perde em nada para o Caribe.

Nossa ideia na próxima manhã era visitar as piscinas naturais, mas a maré só estaria baixa à tarde e acabou não fechando os horários pra gente (olha aí a tábua da maré de novo, meu povo!). Sem muitos planos, fomos caminhar pela beira, de forma despretenciosa, curtindo os milhares de coqueiros embelezando a areia e acabamos na praia do Marceneiro.

Que lugar mais lindo! Nos instalamos por lá em um bar e ficamos, curtindo uma MPB, lendo e contemplando aquela belezura. As praias não estavam muito cheias pois fomos durante a semana, mas já era possível ver as pousadas e casas de eventos se preparando para os casamentos que certamente aconteceriam ali no fim de semana.

Durante a noite recomendo muito o centrinho de Porto das Pedras, por lá você encontra uma rua com várias casinhas coloridas e muito charmosas com cafés, restaurantes e lojas para todos os gostos. Adoramos e nos arrependemos por não ter ido para lá na primeira noite também, então fica a dica.

Dicas extras para o nordeste brasileiro:

Se você for fazer a trip de carro lembre-se: as estradas são boas, mas pouco iluminadas, sem acesso à internet e em muitas partes sem sinal, portanto procure fazer os trajetos mais longos durante o dia e salve os mapas antes. Também é importante mapear os postos de gasolina para não ficar empenhado.

Se seu objetivo for mergulhar, já falei, mas vou repetir, se puder, leve as sapatilhas e óculos de mergulho já de casa e obviamente, confira a maré nos dias que estará em cada local. Por questões ambientais os passeios às piscinas só ocorrem quando:
– A maré estiver entre -0.1 e 0.6;
– O horário da maré baixa estiver entre às 06:00h e 17:00h.

Nós ficamos 2 dias em cada lugar e sentimos que foi perfeito, não precisamos de mais e nem faltou.

Não esqueça de se programar com antecedência e fazer seguro viagem (muito importante nas viagens nacionais).

Venha conferir nossas ofertas para um carnaval incrível no meio de muito fervo no Nordeste!

Aqui no Pinguim a gente viaja junto e eu espero de coração que você tenha gostado de viajar um pouquinho junto com a gente. Se quiser mais dicas, me chama lá no Pinguim app, vai ser um prazer conversar mais sobre essa trip que já está guardada num lugar muito especial do meu coração!

 

App Pinguim

Instale o app e tenha a sua viagem - e a sua comunidade viajante - na palma da sua mão!

O Pinguim conecta viajantes a destinos e comunidades com interesses comuns para promover experiências únicas. No Pinguim, a gente viaja junto! Bora?