Bonito: um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Gosta de natureza, belas paisagens e uma boa dose de emoção? Saiba o que fazer em Bonito, um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil!

Premiado diversas vezes como o melhor destino de ecoturismo do Brasil, Bonito (MS) é considerado também uma atração internacional segura. O município recebeu, em 2.020, o selo internacional de turismo seguro “Safe Travels”, criado pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC – World Travel & Tourism Council).

O selo foi entregue após o município ter implementado as medidas de biossegurança preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A adoção das normas em saúde e segurança teve o apoio do Sebrae/MS, que por meio de parceria com Sesi/MS e Senac/MS, lançou em 2020 o programa Bonito Seguro, visando a retomada segura das atividades turísticas na cidade.

O programa Bonito Seguro auxiliou na elaboração de plano de retomada com as associações representativas do trade turístico; capacitou empresas do município nos protocolos de biossegurança; entregou o selo Bonito Seguro para os empreendimentos que cumpriram 100% das medidas de saúde e segurança; reforçou aos turistas a importância das medidas da vigilância sanitária, entre outras ações.

Ao todo, o programa alcançou 2.413 empresas e 693 protocolos de biossegurança foram entregues aos empreendimentos do município. “A ação garantiu a retomada das atividades econômicas. Os turistas voltaram à região, seguindo os limites de capacidade e outras medidas sanitárias impostas pelos protocolos estabelecidos no município. Se trata de um caso de sucesso, exemplo para outros destinos no país”, destaca o diretor-superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça.

Com a atuação em Bonito, Mato Grosso do Sul tornou-se um dos primeiros estados brasileiros a conquistar o selo “Safe Travels”. Além do funcionamento seguro, o destino de ecoturismo se destaca pelo turismo de aventura, com atrações como paisagens naturais, cachoeiras, grutas, flutuações e mergulhos em rios de águas cristalinas.

O que fazer em Bonito?

Com tanta segurança, “bora” saber um pouco mais sobre o que fazer nesse destino tão bonito, chamado “Bonito”? Os passeios de Bonito podem ser divididos em algumas categorias: Aventura, Flutuação. Balneários, Cachoeiras, Contemplação e Grutas.

Aventura

Bonito: um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Foto: Caio Vilela

Das atrações de aventura, o Abismo Anhumas, certamente é o mais radicais. O “Buraco”, como é tratado com muita intimidade por seus monitores, é um dos locais mais lindos de Bonito. É onde pode-se dizer, uma verdadeira viagem ao centro da terra – uma descida de 72 m em rapel, por uma fenda na rocha, leva a uma caverna com magníficas formações e um lago de águas cristalinas onde pode-se flutuar e ver reveladas as belezas subaquáticas do lugar.

A aventura começa na cidade, às 18:00hs do dia anterior, onde é feito o treinamento de rapel em uma torre de 8 metros – muito importante para a segurança do passeio; é nesta hora que a habilidade dos monitores fica mais aguçada, pois com muita percepção analisam quem pode ou não descer o Abismo: cardíacos, diabéticos e portadores de problemas nervosos ou psíquicos, assim como, pessoas muito obesas, são informadas da impossibilidade de fazer a descida. Tudo com muito profissionalismo e seriedade exigida nesta aventura radical. É na parede que sua adrenalina começa a disparar, onde você sente o que vem pela frente, ou melhor, por baixo. Até aí já se tem uma pequena ideia, mas nada comparado ao que o Anhumas ainda vai mostrar lá embaixo.

Segue-se então, por uma distância de 23 km em estrada de terra, até chegar em uma abertura no chão que despenca como um abismo vertical. Tudo está apenas começando, mas o coração já bate muito rápido. Os monitores começam a vistoriar o equipamento – mosquetões, descensores tipo stop, cordas de segurança, luvas e capacetes (todo o equipamento é vistoriado e substituído com regularidade, observado sua vida-útil).

No máximo 16 pessoas por dia podem fazer esta aventura, a limitação dá-se ao fato da segurança aliado a preservação ambiental. Os aventureiros começam a ser equipados dois a dois; os demais ficam observando cada movimento dos monitores; sente-se no ar o medo de cada um estampado em suas faces… A “galera” (monitores) ajuda com brincadeiras, descontraindo a todos, e, mostrando a segurança e seriedade com que conduzem esta aventura – possuem cursos de escalada, resgate e primeiros-socorros.

Chegou a vez…, um olha para o outro como se perguntasse: “Está mesmo a fim?”. Já colocados na fenda prontos para a descida, que é feita dois a dois, ligados um ao outro, não se pensa em nada, pois o coração já bate em disparada e a adrenalina toma conta de tudo. Começa a descida passando por aproximadamente10 m em uma fenda muito estreita, até chegar à grande abertura; daí em diante, quem tiver coragem olha para baixo e vê os outros que desceram antes, sobre um deck flutuante como se fossem pequenos insetos. A rápida descida leva mais ou menos 5 minutos.

Quando chega-se ao fundo dos 72 m, sente-se a enorme presença de Deus e a insignificância do homem. Uma vez no deck, com as pernas ainda trêmulas e o coração retornando aos poucos a seu ritmo normal, observa-se a grandiosidade do centro da terra esculpido por milhões de anos, gota a gota d’água, formando as mais lindas estalactites e estalagmites, com formas variadas onde a imaginação de cada um visualiza seres e objetos diferentes. O lago com um volume de água aproximado de 24.000 m3 e de profundidade aproximada de 80 m, tem uma transparência que nos mostra mais de 20 cones submersos de formação calcária, onde a natureza mais uma vez nos presenteia com seu poder e perfeição. O primeiro passo lá embaixo, é colocar a roupa de neoprene que deve ser locada um dia antes em agência de turismo, e flutuar sobre o imenso lago, onde você ao mesmo tempo que admira a natureza, sente uma paz tão grande que lhe possibilita momentos de introspecção.

Para quem detém credencial de curso de mergulho básico, é possível mergulhar até a profundidade de 18 m, num circuito de 177 m pré estabelecidos no fundo do lago, em águas à temperatura de 17ºC, devendo-se contratar, com antecedência, em agência de turismo local, o mergulho autônomo. O limite máximo admitido no grupo de 16 pessoas, é somente 4 para o mergulho.

Um bote de apoio leva a um passeio onde pode-se avistar a parte seca da gruta – não é permitido a descer do bote; nesta parte do passeio você observa o lado fantástico da natureza em formas jamais imaginadas. Aí observa-se variados espeleotemas, as formas em que a natureza se transforma são algo de deixar qualquer ser humano sentindo-se mais uma vez muito pequeno.

Depois de “almoçar” (deve-se levar lanche leve e água – energéticos de preferência) sobre o deck flutuante diante da imensidão da caverna, onde parece que o mundo acabou e os únicos sobreviventes estão alí. Um breve descanso, onde muita história é contada e as emoções divididas. Inicia-se o retorno, mais uma vez dois a dois.

A subida é realizada com auxílio do “croll e punho” (blocantes); novamente os monitores verificam o equipamento. Agora o “medo” já não é tanto, e mais descontraído pode-se observar do alto através da cristalina água do lago os cones submersos, e as paredes que envolvem este paraíso. Diferente dadescida, o percurso agora é feito lentamente, onde uma sensação de liberdade tão grande envolve o aventureiro. A cada metro que se sobe novas descobertas acontecem – nossa mente torna-se pequena para assimilar tudo ao mesmo tempo. No meio da subida perde-se o sentido da distância, lá embaixo tudo é muito pequeno, e a fenda, acima, vista pela luz que ultrapassa, as vezes parece próxima, outras não.

Faltando aproximadamente 10 m da fenda, entra-se no “funíl” onde o espaço reduz e começa o furor da vitória. Nesta hora vemos o quanto devemos respeitar a imponência da natureza. Na “boca” do grande “buraco” monitores aguardam para o “resgate”, e mais uma vez mostram que esta aventura depende de muita seriedade e profissionalismo.

Após a saída, tudo é motivo de comemoração, sente-se uma vontade imensa de agradecer a Deus nossa existência e tudo mais que nos cerca. Cansados pela subida, a água é o grande prêmio, como se fosse o objetivo desde lá embaixo. Sentimos depois de tudo, que o homem não deveria morrer sem antes descer e subir o Anhumas.

Balneários

Bonito: um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Foto: Moisés Aguiar/ Wikimedia Commons

Sugerimos conhecer o Balneário do Sol, localizado às margens do Rio Formoso, que oferece a possibilidade de nadar nas piscinas ou no próprio rio, entre as piraputangas, curimbas e dourados, com lindas cachoeiras fazendo parte do cenário. Possui tirolesa, trampolim, lanchonete, restaurante, churrasqueiras cobertas com pia, mesa e cadeiras, redário, quadras de vôlei, piscina, futebol de areia e muito mais.

Quando vier a Bonito, não deixe de conhecer essa maravilha. Você e sua família irão adorar o contato intenso com a fauna e flora da região.

Imperdível, também, é a praia da Figueira. A praia na região pantaneira é um balneário que conta com uma lagoa de 60.000 m2 com areia branca, banhada pelo Rio Formoso. Águas calmas, cristalinas e com temperatura agradável o ano inteiro, esse é o cenário é perfeito para relaxar e fazer ótimas selfies.

Cachoeiras

Bonito: um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Foto: LNarimats/ Flickr

Boca da Onça é a dica. A cachoeira mais alta do Estado, tem 156 m de altura. É fascinante. Em suas trilhas, com 4km, ainda é possível ver mais 10 quedas. Um trajeto no meio da mata inteiramente preservada, passando por muitas cachoeiras, em trilhas que proporcionam total segurança. As cenas magníficas renovam-se a cada passo, passando por várias cachoeiras cristalinas.

Uma paradinha na caminhada para se refrescar e nadar em duas piscinas naturais: o Poço da Lontra. No meio do trajeto, uma pausa na área de descanso – o quiosque – que dispõe de bar, banheiros e enfermaria. Local para relaxar, observar a mata e os impressionantes paredões de calcário.

Terminando a caminhada pelas trilhas ou rapel, chega a hora de um merecido descanso. Irresistível: são duas piscinas com água corrente, cachoeiras e hidromassagem. Para os praticantes e apreciadores radicais, uma descida em rapel, repleta de adrenalina em um paredão vertical de 90 metros de altura.

Contemplação

Foto: Robson de Souza/ Wikimedia Commons

O Buraco das Araras é beleza que salta aos olhos. Trilha ao redor de uma dolina com 124 metros de profundidade e 160 metros de diâmetro, que possibilita uma visão panorâmica de seu interior, onde as araras-vermelhas e outras aves retornam sempre ao final do dia. Em seu fundo se encontra um grande lago e alguns répteis. Sua fauna e flora são bem particulares.

Local para sentir a paz e a tranquilidade que este lugar pode lhe proporcionar. Em meio ao cerrado, uma enorme cratera totalmente em arenito com sua beleza e exuberância, lugar onde diversos pássaros, principalmente as “Araras Vermelhas” adotaram como habitat natural. O nome Buraco das Araras surgiu em razão do grande número de araras que habitam o local e fazem verdadeiros espetáculos. Em seu interior fauna e flora bem particulares, com seu ecossistema próprio e um grande lago habitado por jacarés da espécie papo amarelo.

O Buraco das Araras é uma das maiores dolinas do mundo, com aproximadamente 100 metros de profundidade e 500 metros de circunferência, localizada no município de Jardim-MS.

Flutuação

Bonito: um dos melhores destinos de ecoturismo do Brasil

Foto: Rosanetur

Atrações máximas para quem visita Bonito, as águas de rios como Prata, Sucuri e Aquário Nacional, te fazem ver o quão transparentes podem ser as águas de um rio. Já na Nascente Azul, é um passeio que se inicia pela trilha suspensa de madeira, em meio à mata ciliar totalmente preservada, abrigo de diversas espécies da nossa fauna e flora como anta, tamanduá bandeira, macaco prego, seriema, mutum, quatis, cutia, entre outros, e pausa no meio no caminho para comtemplar uma fantástica Cachoeira de Trufas Calcárias, e uma antiga usina hidrelétrica ainda em funcionamento desde a década de 50.

Por ser toda tablada, a trilha proporciona a plena interação de todos. a contemplação da Nascente Azul, onde ocorre um fenômeno único e natural em Bonito, chamado de espelhamento, onde a agua reflete um tom azul turquesa vista pelo lado de fora do rio, que deu origem ao nome Nascente Azul.

No final da contemplação inicia- se a flutuação nas aguas cristalinas do Rio Bonito, berço de várias espécies de peixes, plantas aquáticas e uma formação geológica única que propicia aos visitantes a oportunidade de fazer a apnéia livre no início da Flutuação.

Grutas

Foto: Rosanetur

Entre as grutas, os destaques são a Gruta do Lago Azul, com um lago de um tom azul mágico, quase irreal e as Grutas de São Miguel, cujo passeio começa em uma trilha suspensa e segue gruta adentro, cheia de estalactites, estalagmites e outras formações geológicas.

A Gruta do Lago Azul é uma caverna que possui, em seu interior, um lago azul com dimensões que a tornam uma das maiores cavidades inundadas do planeta. Descoberta por um índio Terena em 1924, a caverna possui em seu interior um lago azul com dimensões que a tornam uma das maiores cavidades inundadas do planeta. Em 1992 um expedição Franco-Brasileira de espeleomergulhadores, encontrou uma série de fósseis de mamíferos – como o tigre de dente de sabre e preguiça gigante – que viveram durante o período geológico do Pleistoceno – 6.000 a 10.000 anos atrás.

Após uma descida de 100 m, depara-se com um lago de águas intensamente azuladas, cuja profundidade estima-se ser de 90 m. Com suas formações geológicas – não só o teto como o piso da gruta são repletos de espeleotemas de várias formas e tamanhos – desperta a atenção dos turistas e pesquisadores do mundo inteiro. Ninguém sabe ao certo de onde vêm suas águas, acredita-se na existência de um rio subterrâneo, que alimenta o lago.

Já a Gruta de São Miguel, é um dos melhores programas em Bonito, situada na Reserva Natural Parque Ecológico Vale Anhumas. As surpresas começam logo na chegada ao centro de visitantes, um verdadeiro marco arquitetônico, onde o turista conta com um bem aparelhado bar e um mirante estrategicamente construído para que se possa obter uma visão geral de toda a região. O visitante também recebe orientações através de palestras e vídeos ilustrativos, destacando não só as belezas da região, mas também dando ao visitante a oportunidade de aumentar seus conhecimentos e ter suas curiosidades satisfeitas.

O acesso às grutas é feito através de uma emocionante trilha pênsil com quase 200 metros de extensão, que permite caminhar por entre as copas das árvores m meio a mata virgem, levando o visitante até a gruta principal. Finalmente, começa uma aventura através de um mundo subterrâneo, cheio de surpresas e encantamento. A Gruta Principal mostra uma imensa quantidade de espeleotemas, formações calcáreas antiqüíssimas, e de uma variedade de formas impressionante. Suas trilhas trazem novas surpresas a cada passo.

Ao logo do passeio, o visitante conhecerá estalactites, estalagmites, travertinos, coralóides e pérolas, além da possibilidade de ver a coruja suidara. Ao contrário de outras grutas da região, as Grutas de São Miguel, são cavidades naturais secas cujo processo de evolução se encerrou há muito tempo, o que se constitui em mais um atrativo, pois o visitante encontrará neste passeio aquilo que só esta gruta pode mostrar. Finalmente, começa uma aventura através de um mundo subterrâneo, cheio de surpresas e encantamento. A Gruta Principal mostra uma imensa quantidade de espeleotemas, formações calcáreas antiqüíssimas, e de uma variedade de formas impressionante. Suas trilhas trazem novas surpresas a cada passo.

 

App Pinguim

Instale o app e tenha a sua viagem - e a sua comunidade viajante - na palma da sua mão!

O Pinguim conecta viajantes a destinos e comunidades com interesses comuns para promover experiências únicas. No Pinguim, a gente viaja junto! Bora?